hermelindo

fiaminghi

biografia

Hermelindo Fiaminghi nasceu em São Paulo em 1920. Pintor e desenhista, publicitário, litógrafo e artista gráfico. Aderiu ao Grupo Ruptura e atuou junto aos poetas concretos, desenvolvendo o projeto gráfico de vários poemas. A partir dos anos 1960, passa a nomear sua produção como corluz. Nos anos 1980, permite-se uma maior liberdade em relação à estrutura da tela e do papel e realiza suas séries de desretratos e despaisagens, contudo, sua busca continua a mesma: a luz e a cor como recurso.

fiaminghi: o vento continua

Diante dos papéis conferidos pela historiografia, Waldemar Cordeiro é visto como líder teórico do Grupo Ruptura, uma figura que dominava os holofotes, relegando seus companheiros aos bastidores e oferecendo diretrizes à narrativa do concretismo paulista. A Hermelindo Fiaminghi foi conferido um papel silencioso, que o circunscrevia no ambiente publicitário. 

Ao analisar os documentos do Fundo deste artista, vemos essa história se confirmar, porém não sem incômodo, quando confrontados com outros depoimentos. Uma data em especial chama atenção: o falecimento precoce de Cordeiro em 1973, que abre espaço para vozes dos demais integrantes. Outra data significativa é estabelecida pela carta de Fiaminghi, na qual declara seu rompimento com o Ruptura por se sentir um “intruso”, em 1959. Segundo ele, os dogmatismos impostos por Cordeiro levaram-no a se distanciar do grupo para poder rever sua arte.

Essa baliza temporal nos permite observar a produção de Fiaminghi em três momentos: descoberta e adesão ao concretismo; distanciamento, que não pode ser considerado uma separação efetiva, pois Fiaminghi continua a conviver e expor com o grupo, mas que lhe permite mais independência; e após o falecimento de Cordeiro, que, sem ambicionar um papel como novo líder, acaba por elaborar com maior profundidade as questões de sua obra e do movimento como um todo.

Curadoria e textos críticos: Rachel Vallego

Arte não se ensina. Propõe-se a percepção das coisas enquanto uma elaboração mediante um trabalho criativo-didático que possibilita a descoberta dos talentos, ou encaminhados a descobrirem-se por si próprios. Cada indivíduo é um “artista” em potencial, bastará que se lhes mostre de maneira concreta a percepção das coisas que estão ao seu redor, no cotidiano, de suas vidas, daí para frente é uma questão de cultura e informação para que se faça melhor arte ou não.”

Diário do Grande ABC. Santo André, São Paulo, 9 de setembro de 1969, Fiaminghi/ entrevista a Enock Sacramento

Enfim, em resumo o debate interno não é feito francamente, não é livre, não é construtivo, é autodestrutivo e complexo, tão complexo em seus objetivos práticos que chega a confundir-se dentro do grupo, como confunde-se toda iniciativa dentro das organizações oficiais ou particulares, contra um programa mais amplo”

Carta manuscrita, São Paulo, 30 de junho de 1959, Hermelindo Fiaminghi

“Eu preciso criar
uma impressão
para criar uma
expressão

Eu preciso dialogar
com uma impressão
para criar uma expressão

Criou minhas próprias
impressões para criar
outras expressões.

Van Gogh escreve numa
carta à Theo ‘O moinho
não mais existe, mas o
vento continua’.

Pretendo
É uma pintura que se realiza
no espaço, em vários planos
de movimentos em profundidade,
que sai do olho e volta
para o olho.”

Diário de bordo e bordoadas. Registro de ideias coisas poécos e poetextos poexistentes de H. Fiaminghi. c. 1984, Hermelindo Fiaminghi

Ocorreu de me tornar pintor repentinamente, por volta de 1948. Conscientizei-me que a pintura era a principal coisa ou profissão que eu poderia almejar. Começou, então, uma luta de consciência comigo mesmo, que durou alguns [anos], para assumir a profissão de pintor. É muito difícil dizer hoje: “profissão de pintor”. Acho que a profissão de pintor é mais a profissão de um cara teimoso e persistente. Não há nenhuma condição de o cara se dizer pintor profissional, viver da pintura. Ela acontece.”

Conscientizei-me que a pintura era a principal coisa ou profissão que eu poderia almejar. Diário de S. Paulo, São Paulo, 9 de junho de 1979, Hermelindo Fiaminghi

linha do tempo

Cronologia IAC – eventos selecionados

1920

Nasce Hermelindo Fiaminghi, em São Paulo.

1936 – 41

Estuda no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo com Waldemar da Costa.

1955

Participa da III Bienal Internacional de São Paulo. É identificado pela crítica como um pintor concreto.

1956

Adere ao Grupo Ruptura. Participa da I Exposição Nacional de Arte Concreta, MAM SP.

1958

Participa da exposição 6 Artistas Concretos, na Galeria de Arte das Folhas.

1959

Rompe com Waldemar Cordeiro, líder do grupo Ruptura, sem contudo se afastar dos demais colegas.

1964

Exposição individual na Galeria Novas Tendências.

1980

Grande Retrospectiva organizada pelo MAM SP.

2003

Exposição individual no MAC Niterói, RJ. Falece no ano seguinte.

conheça a seleção
de documentos

Você também pode ler as transcrições dos documentos e as legendas críticas feitas pelos curadores.

Artigo comenta a participação de Fiaminghi e Judith Lauand em exposição na Galeria de Arte das Folhas, enfatizando a atuação de ambos no mercado publicitário como merecedor de respeito por propor uma aproximação e utilização prática das criações artísticas aplicadas ao design industrial. O texto também deixa evidente a contraposição a Waldemar Cordeiro, “todo empenhado em filosofias”.


Título

A que serve o desenho.


Data

24/01/1959

Nº de ordem IAC

28411

Tipo

Crítica

Autoria

não identificada


Carta de Fiaminghi desligando-se do grupo Ruptura devido a discordâncias, especialmente, o “dogmatismo” de Waldemar Cordeiro. Fiaminghi diz sentir-se um intruso no grupo, pois não vê um debate franco e aberto a questões que não partam do líder. Para ele, isso tem afetado sua produção negativamente, de forma que precisa se afastar para poder se reestruturar.


Título

sem título


Data

30/06/1959

Nº de ordem IAC

26278

Tipo

Carta manuscrita

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Artigo comenta a abertura da galeria Novas Tendências, idealizada por doze artistas, em moldes cooperativistas, como espaço de trabalho e de exposições, sem filiações a grupos ou “ismos”, apesar de seus associados serem majoritariamente de tendência construtiva.


Título

Proibido sonhar para muitos artistas.


Data

18/07/1965

Nº de ordem IAC

28408

Tipo

Artigo

Autoria

Heloisa Soares


Entrevista concedida a Enok Sacramento por escrito, na qual comenta sua percepção de que a arte não pode ser ensinada. Cabe ao artista somente encaminhar o indivíduo a descobrir por si próprio, ajudando-o a aflorar sua criatividade. Comenta como o concretismo tem influenciado novas tendências artísticas e como a arte e a tecnologia estão intimamente imbricadas no cotidiano, especialmente por meio da publicidade.


Título

sem título


Data

09/09/1969

Nº de ordem IAC

26280

Tipo

Entrevista

Autoria

Enock Sacramento


Anúncio de abertura da Galeria Ralph Camargo em São Paulo, dedicada exclusivamente à arte contemporânea, especialmente jovens artistas, que tinham maior dificuldade de inserção no circuito comercial da época.


Título

A Arte está morta.


Data

30/10/1972

Nº de ordem IAC

28377

Tipo

Anúncio

Autoria

não identificada


Depoimento de Fiaminghi ao Instituto de Estudos Brasileiros (IEB USP), no qual o artista detalha sua aproximação com o concretismo, o desenvolvimento dos grupos paulista e carioca e seu processo de trabalho. Este depoimento permite observar como o artista esteve engajado com o movimento concreto e sua visão sobre os desdobramentos dos fatos históricos à época.


Título

Depoimento sobre o movimento concreto brasileiro na década de 50.


Data

30/06/1975

Nº de ordem IAC

26269

Tipo

Depoimento

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Nesse pequeno cartão redigido à mão, encontramos uma lista de pigmentos importados, que permite entrever os bastidores da pintura e as cores escolhidas na formação da paleta do pintor.


Título

lista de Pigmentos importados


Data

1978

Nº de ordem IAC

25479

Tipo

Imagem

Autoria

Hermelindo Fiaminghi(?)


Coluna Itinerários, idealizada por Jorge Vasconcellos e Philadelpho Menezes, recebe depoimento de Fiaminghi sobre sua trajetória como artista. Comenta principalmente as diferentes formas de conciliação da pintura com outros trabalhos, como a publicidade, enfatizando especialmente a divisão do tempo. Demonstra encarar a pintura como profissão.


Título

Conscientizei-me que a pintura era a principal coisa ou profissão que eu poderia almejar


Data

09/06/1979

Nº de ordem IAC

26184

Tipo

Coluna

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Poemas e pensamentos redigidos à mão. Esse diário revela o lado criativo de Fiaminghi, seus pensamentos e poesias inspirados pela sua obra.


Título

Diário de bordo e bordoadas. Registro de ideias coisas poécos e poetextos poexistentes de H. Fiaminghi.


Data

c. 1984

Nº de ordem IAC

26238

Tipo

Ensaio

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Nesse depoimento a respeito da Galeria e Associação Novas Tendências, fundada em 1965, o artista comenta abertamente alguns problemas com Waldemar Cordeiro, especialmente sobre não ceder espaço para outras lideranças, mesmo quando não estava no comando. Segundo Fiaminghi, esse seria o caso da NT, da qual Cordeiro rapidamente se desvincula.


Título

Entrevista: Hermelindo Fiaminghi


Data

10/03/1992

Nº de ordem IAC

26201

Tipo

Entrevista

Autoria

Regina Rudge e Otávio Neto


Nessa entrevista à revista Artes, Fiaminghi comenta sua exposição na Galeria São Paulo, de Regina Boni, em 1995, e faz um panorama de suas percepções a respeito da arte no período. Relata ainda exposições do MAM SP, algumas Bienais recentes, a novidade das instalações e sua produção recente.


Título

Hermelindo Fiaminghi: Quarenta anos de cor-luz.


Data

1995

Nº de ordem IAC

27968

Tipo

Entrevista

Autoria

não identificada


Depoimento de Fiaminghi concedido por ocasião da exposição Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Nesse depoimento o artista relata sua trajetória e responde a questões técnicas de sua pintura, influências e ligações com o concretismo.


Título

Depoimentos de Hermelindo Fiaminghi.


Data

15/12/1998

Nº de ordem IAC

26266

Tipo

Depoimento

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Retrato do artista.


Título

sem título


Data

s/d

Nº de ordem IAC

23150

Tipo

Fotografia

Autoria

não identificada


Gravura de Fiaminghi preservada no acervo IAC


Título

sem título


Data

s/d

Nº de ordem IAC

28931

Tipo

Serigrafia a cores

Autoria

Hermelindo Fiaminghi


Gravura de Fiaminghi preservada no acervo IAC


Título

sem título


Data

s/d

Nº de ordem IAC

28993

Tipo

Serigrafia a cores

Autoria

Hermelindo Fiaminghi